Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2016 -

Ler os rótulos na compra no mercado ajuda?

No lugar do pão de forma feito com farinha branca, entram as misturas integrais. O iogurte precisa ser light, o suco é livre de conservantes e açúcar e a salada só se for feita com verduras orgânicas. 

Nos últimos anos, tem aumentado o número de brasileiros que estão trocando alimentos gordurosos e fast food por produtos mais saudáveis.

Uma recente pesquisa divulgada pela PROTESTE aponta que as pessoas estão dispostas a pagar mais por alimentos orgânicos e socialmente sustentáveis.

 Dos entrevistados, 51% disseram que estão retirando doce da dieta. Quatro em cada dez estão comprando menos carne vermelha e 48% comendo menos proteína animal e mais vegetal.

Atualmente, o Brasil é o quarto maior mercado do mundo de alimentação natural (o que engloba os alimentos funcionais, com adição de ingredientes saudáveis e redução de sal, açúcar e gorduras), atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão."Existe uma tendência, principalmente fora do lar, de que a alimentação precisa ser mais saudável, com produtos cada vez mais frescos", diz Victor Trujillo, professor da Escola Superior de Propaganda e Marketing, em São Paulo. Segundo ele, frente à demanda, as indústrias estão investindo cada vez mais no setor.

Para se ter uma ideia, de 2009 a 2014, o segmento cresceu 95% no país e movimentou quase R$ 80 bilhões de reais apenas em 2014, segundo a Euromonitor, empresa europeia de monitoramento. No mundo, o crescimento de produtos saudáveis é de três a quatro vezes maior que o da venda de alimentos convencionais.

De acordo com os especialistas, os brasileiros apoiam a alimentação saudável, mas ainda não possuem uma visão muito clara do que isso realmente significa. "Muitas pessoas têm a sensação de que os produtos integrais, por exemplo, são realmente muito saudáveis.

No entanto, quando observamos a embalagem, a quantidade de farinha integral de alguns pães não passa de 10%. Não é saudável, mas pensamos que é", diz Jacqueline Hochberg, do departamento de nutrição da Universidade de São Paulo. "A visão do consumidor sobre o produto ainda é muito superficial. Muitas vezes, as pessoas acreditam que apenas a forma do preparo pode determinar se aquele alimento é saudável ou não", completa Trujillo.

Na lista dos alimentos que parecem saudáveis, mas nem tanto, estão as barrinhas de frutas, que possuem excesso de açúcar. Os pães multigrãos também enganam, já que nem sempre trazem sementes integrais, entre outros. Para quem quer entrar no time da alimentação saudável, a nutricionista Jacqueline dá quatro dicas para a escolha dos produtos:

Busque alimentos com poucos ingredientes na composição

A famosa regra ''nunca coma um alimento que leve ingredientes que sua vó não conheça'' se encaixa perfeitamente por aqui. Ao escolher um molho de tomate, por exemplo, opte por aquele com menor variedade de ingredientes. ''Assim, deixamos de levar um produto cheio de conservantes e estabilizantes'', explica Jacqueline.

Leia o rótulo

O rótulo é uma espécie de ficha técnica do alimento. Além da tabela nutricional, ele traz a lista dos ingredientes que compõe o produto, sempre em ordem decrescente. Assim, o primeiro ingrediente é sempre aquele que vem em maior quantidade. Modere o consumo dos alimentos que trazem açúcar ou gorduras já nas primeiras posições.

Procure cozinhar mais em casa

Mesmo com uma vida corrida, experimente cozinhar mais em casa. É mais saudável comer uma lasanha feita com ingredientes naturais do que descongelar uma opção light. Não tem milagre, o produto industrializado possui conservantes, mais sódio e não tem comparação com a opção fresquinha.

Fique de olho nos orgânicos

No supermercado ou em grandes redes de hortifrúti, cheque se o produto tem certificações de orgânico, que indicam que o produto cumpre as normas determinadas pela Anvisa. Em estabelecimentos menores, é provável que os itens não tenham os selos, mas não quer dizer que não sejam naturais. Muitas vezes, os pequenos produtores não conseguem a certificação por ser caro e burocrático.



Fonte : UOL
Foto   : Thinkstok

O que fazer com os extintores de incêndio que não precisamos mais?. Veja e confira

Uma medida de segurança para os motoristas e passageiros que também implica no descarte dos extintores antigos. Então, o que fazer com eles? Nossas dicas são dereutilização desses extintores descartados, tornando-os objetos decorativos.

Extintores luminárias – Coloque uma cúpula em cima, capriche no spray para colori-lo e peça ajuda de um eletricista com a fiação.

Fonte: Casa Abril


Já esta ideia é de um artista uruguaio, Valentino Llegada. Os extintores foram cortados e serviram de base para as lâmpadas. Eles também foram lixados e tonalizados com cores vibrantes.

Fonte: Eco Desenvolvimento


Você também pode deixá-lo sem cor, para dar um tom rústico e ousar na colocação da lâmpada.

Fonte: Casa Abril

Adesivar – Uma ideia mais simples, porém, não menos criativa é pintar o extintor com uma cor única e aplicar adesivos de acordo com o seu estilo.

Fonte: Casa Abril

Fonte: Revista Casa e Jardim

Criando vasos – Se preferir, deixe apenas a base do extintor, deixe-o com as cores de sua preferência e utilize-o como suporte para flores artificiais.


Fonte: Casa Abril


O importante mesmo é não deixar de lado nunca a criatividade, principalmente se quiser ter uma decoração original. 

Veja outras ideias nas fotos abaixo:





Dicas para você fazer uma boa prova do ENEM

Chegou a hora de fazer a prova do ENEM. Verdade! Não tem mais para onde correr: o resto dos seus dias depende disso. Ou pelo menos é assim que a gente se sente quando está próximo a encarar o vestibular. E fazer um bom ENEM é o primeiro passo para se dar bem – com o perdão do trocadilho.

Como estudar é o foco, mas não é a solução para tudo, a JOR consultou professores e especialistas em provas e selecionamos truques espertos para quem estudou e, principalmente, para quem não conseguiu estudar tudo. Quer saber? Até quem não teve tempo de estudar nadinha tem uma chance de levar a melhor. Nada de papo de “durma mais cedo no dia anterior”, “coma direito”, “controle o nervosismo”. Afinal, isso você poderá ler em todos os outros lugares. Garanta o ENEM acertando o que é fácil

Antes de começar a ler a matéria, grave bem na memória: 25% das questões do ENEM são fáceis, 50% são intermediárias e 25% são difíceis. Daí: se você se garantir nas perguntas mais fáceis e conseguir acertar uma parte das mais difíceis com essas dicas, é bem capaz que seja considerado um aluno bom ou até excelente! É assim funciona o sistema de cálculo do ENEM.



Dica 1:

Nunca se esqueça: um dos princípios básicos do ENEM é levar aos candidatos valores éticos e sociais, favoráveis ao meio-ambiente, aos diretos humanos, à saúde, à justiça social etc. e, portanto, você deve ficar atento a isso. Por exemplo, se em uma questão de física houver um texto gigante sobre como economizar na hora de preparar um alimento, preste atenção nas alternativas: a correta deverá estar ligada à economia em casa! Por mais que a resposta pareça estar em uma alternativa mais simples e lógica, é provável que, na verdade, esteja em um contexto social que foi citado no texto da questão. É algo como uma espécie de lição de moral.



Dica 2:


Aqui vai um exemplo clássico: já rolou, no ENEM, uma questão a respeito dos danos causados pelos anabolizantes e, obviamente, a alternativa correta discriminava o uso dessas substâncias. Ok, tem muita gente por aí que malha, faz uso de anabolizantes e discorda dessa informação em algum grau, mas não precisa deixar essa opinião clara bem na hora da prova, certo? A probabilidade de a resposta correta vetar as famosas “bombas” é muito, mas muito grande.


Dica 3:


As questões do ENEM dificilmente afirmam ou negam algo com certeza absoluta, então, fique esperto!É fácil detectar uma alternativa errada: palavras como “sempre ou “nunca”, “tudo” ou “todo”, “só” ou “somente”, tendem a ser falsas. Já se você apostar em alternativas que levam palavras como “alguns” ou “geralmente”, tem muito mais chances de acertar respostas de uma questão.


Dica 4:


O ENEM é pró em preparar alternativas gigantescas para cada questão, o que contribui para o desespero a confusão de qualquer aluno. Para se safar dessa, saiba que, na maioria das vezes, a alternativa com o texto mais extenso está ERRADA. Isso porque esse texto mais longo permite o uso de mais palavras e expressões só para fazer o aluno quebrar a cabeça para responder. Pode checar nos últimos gabaritos, a maior parte das alternativas corretas possui textos curtos. Mas não se engane, que vez ou outra pode acontecer exatamente o contrário. Uma alternativa mais longa, que se destoa de outras mega curtas pode ser a correta!


Dica 5:


Sabe aquela pergunta que apresenta quatro alternativas bem parecidas, além de outra que é totalmente nada a ver em relação às outras? Quando isso acontece, o mais comum é pensarmos que se quatro de cinco alternativas semelhantes, então a correta tem que ser uma delas, certo? ERRADO! Quando isso acontece no ENEM, geralmente a questão correta é justamente aquela que está sozinha, e que costuma passar despercebida. Se liga!


Dica 6:


Se você deu de cara com uma pergunta sobre a qual não faz idéia da resposta, saiba que duas das cinco alternativas obrigatoriamente são absurdas e não têm nada a ver com a resposta certa, então, comece tesourando essas. Daí, você já tem 33% de chance de acertar, já que faltam três alternativas. Continue: as outras duas opções erradas que restaram são feitas justamente para tentar enganar o candidato e convencê-lo de que estão certas. Nessa hora, se algo lhe soar um pouco estranho, mesmo que de leve, provavelmente se trata de uma resposta incorreta que deve ser eliminada. Depois disso fica fácil, pois sobram duas alternativas e você já tem 50% de chance de acerto. Tente se concentrar e assinalar a resposta correta.



Dica 7:


Apesar de o INEP jurar que não rolam pegadinhas nos testes do ENEM, os especialistas atestam: rolam, sim. A diferença é que elas não dão taaanto na cara. Essas pegadinha estão mais associadas à atenção na hora de resolver um dos testes. Por exemplo: você tem certeza MESMO de que levou em consideração todos os itens da questão? Fique esperto para não escorregar...


Dica 8:


Muitas das questões que incluem gráficos são tidas como assustadoras, à primeira vista. Na verdade, essas questões apresentam, quase sempre, a resposta a uma questão, ainda que pareçam existir possíveis contas a ser feitas, por exemplo. 


Dica 9:

Outra tática do ENEM para confundir os candidatos é usar alternativas parcialmente corretas. Por exemplo, trazer definições corretas a uma alternativa e mesclar essa informação com algo que não é verdadeiro. Nese caso, vale o velho e bom "menos é mais". Dê preferência à resposta que talvez não aborde todos os aspectos do texto, mas que contenha informações inegavelmente corretas.


Dica 10:

Ok, esta dica só funciona para quem tem certeza de que acertou a maior parte das questões. Quando terminar a prova e só restarem aquelas perguntas que te deixaram mega na dúvida, pegue seu gabarito e veja quantas vezes você assinalou cada alternativa (A, B, C, D e E). Depois, veja se parece haver um equilíbrio entre elas. Daí rola de “chutar” nas alternativas que menos foram assinaladas durante toda a prova. Aí vai o segredo: o MEC exige que haja uma espécie de igualdade entre as alternativas – deve haver respostas corretas em aproximadamente 20% de cada alternativa. Outro toque é que se você assinalou cerca de 16 alternativas “B”, por exemplo e apenas sete “E”, talvez seja interessante revisar especialmente aquelas questões que te deixaram na dúvida.


Como usar o tempo em seu favor no ENEM

A maior dificuldade do ENEM está no tempo para fazer a prova. São 4h30 para fazer as provas de Ciências Humanas e Ciências da Natureza, e mais 5h30 para fazer as provas de Linguagens, Códigos, Matemática e mais a redação. Para facilitar, o engenheiro civil – e campeão em ser aprovado em provas de concursos públicos – Paulo Cesar Pereira, o Sapóia, preparou uma divisão de tempo PER-FEI-TA, que vai te salvar...


Foto: Reprodução

ENEM no sábado

Tente usar aproximadamente 10 minutos para cada página da prova. Assim, você tem uma média de 2,5 minutos para cada uma das questões. Além disso, é preciso garantir ao menos 30 minutos para preencher o gabarito e, nessa contagem, ainda sobram 15 minutos para o caso de você ter que revisar mais alguma coisa.

ENEM no domingo

Esse dia é mais tenso. Você tem uma hora a mais, mas não se deixe enganar, que a correria será ainda maior. Em geral, as questões de matemática levam mais tempo para ser resolvidas, então você vai ter que espremer o tempo nas respostas das outras matérias, que são mais simples. Dá pra fazer assim: use 3 minutos para cada pergunta de matemática, 2 minutos para as questões mais simples, tente fazer a redação em no máximo uma hora e aperte o gabarito em 20 minutos, afinal, já vai rolar uma experiência no segundo dia, né? Assim, sobram uns 25 minutos para você revisar o que for preciso. Não é o tempo dos sonhos de ninguém, mas garante que você resolva a prova toda com segurança :)

E para quem não é bom em Exatas, Fica Dica: segundo Edmilson Motta, coordenador de vestibular e professor de matemática do Etapa, o segredo para arrasar na prova de Exatas do ENEM é ficar fera em porcentagem, regra de três e prestar atenção nos problemas.



a.  As provas do ENEM são aplicadas em determinadas escolas, antes do período verdadeiro de testes, sem você saber! Dessa forma, rola uma avaliação do nível de dificuldade de cada questão, para depois os examinaodores definirem qual a melhor forma de avaliar os candidatos. 


Foto: Reprodução

b. Como são formuladas as questões do ENEM

Todas as perguntas do ENEM são formuladas para avaliar o nível de cada um dos candidatos, separadamente. Por isso, as questões são classificadas como fáceis, intermediárias e difíceis. Dependendo de quais questões acertar, você é classificado como um aluno ruim, bom ou excelente.

c. A nota do ENEM é única para cada candidato

Ao contrário de outras provas, no ENEM cada questão pode mudar de valor de acordo com o desempenho do candidato ao longo de TODA a prova, o que significa que cada um dos inscritos no ENEM pode apresentar uma nota completamente diferente da outra, daí a razão de fazer toda a diferença você garantir as questões fáceis e uma parte das difíceis, como a gente explicou no comecinho da matéria...

A
s dicas propostas foram cedidas por especialistas em avaliações e proporcionam a você novas formas de tentar entender a prova do ENEM para tirar o máximo proveito do seu potencial. Isso não significa que a gente garante qualquer nota, viu? 

Mas temos uma ultima dica na imagem para você.





Boa sorte, a gente sabe que você vai conseguir!!!




Fonte : Revista Atrevida

Lista de erros que pode atrapalhar na busca do emprego

Exagerar na roupa, mentir ou chegar atrasado são detalhes que diminuem suas chances de agarrar uma vaga.

Você se candidatou, mandou um currículo feito sob medida e acabou de receber a confirmação tão esperada. Foi selecionado para o grande desafio: a entrevista, o momento em que você terá de vender, em poucos minutos, todos os seus talentos.

O entrevistador ficará de olho em todos os detalhes, desde o seu jeito de se expressar até a roupa que está vestindo. Assim, quanto menos foras você der, mais chances terá de conseguir o emprego. Veja os dez mandamentos para não pecar na hora H.

Não abuse na roupa

Isso não quer dizer abolir seu estilo. A roupa faz parte da personalidade de cada um. Só não vale extravagâncias. As mulheres devem evitar decotes, saias muito curtas, calças justas, transparências, maquiagem carregada e perfumes fortes. Os homens devem abolir bermudas, calças e calçados surrados, camisetas com estampas espalhafatosas e meia branca fazendo par com um sapato social.

Não chegue atrasado

Pega muito mal. O entrevistador vai encarar o atraso como falta de responsabilidade. “Todos estamos suscetíveis a atrasos, principalmente nas cidades grandes. Se acontecer, a melhor saída é se desculpar pelo erro”, diz Sandra Moreira, gerente da Manager Assessoria e Recursos Humanos. Para evitar confusões e mal-entendidos, é bom chegar uns dez minutos antes da hora.

Não exagere nem minta

Passar uma imagem falsa de suas qualificações é uma estratégia perigosa. É melhor abrir o jogo com o entrevistador, deixando claro o que você sabe ou não fazer. “A sinceridade conta pontos a favor”, diz Sandra.

Não use palavras difíceis

Nada de abusar de jargões técnicos (informatiquês ou economês). “O entrevistador nem sempre entende tais termos. O que pode truncar a comunicação e passar uma imagem errada de superioridade”, diz Sandra. Gírias e palavrões, nem pensar. Mesmo que o papo esteja descontraído, é pecado mortal.

Não mostre indecisão

Sua capacidade de raciocínio também estará sendo testada. Não importa a pergunta que o entrevistador faça, a resposta deve ser imediata e sem rodeios. Isso revelará que você é uma pessoa segura e que sabe, exatamente, o que quer.

Não leve currículo extenso

Ninguém tem tempo nem paciência para ler um currículo com várias páginas. Ele deve ser objetivo.

Não fale de salário logo de cara

Não há nada que irrite mais um entrevistador do que a frase: “Quanto vou ganhar?” O assunto salário é um item a ser discutido sempre no final da entrevista.

Não caia de “pára-quedas”

Procure se informar sobre a companhia. Pesquise na internet, em revistas e jornais especializados. Fica mais fácil manter uma conversa com o entrevistador.

Não reclame

Mesmo que esteja num dia ruim, não se lamente ou entre em assuntos que não têm a ver com a entrevista. “Isso faz com que a conversa tome outro rumo e transforme o candidato ‘no chato’”, explica Sandra.

Não seja um mau ouvinte

Escute com atenção o entrevistador e responda as questões com objetividade. Fazer perguntas ao recrutador também ajuda a estabelecer uma relação de confiança”, aconselha Sandra Moreira.

OUTROS TOQUES IMPORTANTES

Mais algumas dicas para você se dar bem na entrevista.

  • Mantenha a naturalidade — Responda às perguntas com calma. Não se estenda nem divague.
  • Não perca o contato visual — O olho no olho demonstra confiança e capacidade de concentração.
  • Valorize — Fale sobre seus pontos fortes e fracos com muita honestidade.
  • Atualize-se — Leia jornais diariamente, revistas de informação e bons livros. Estar atualizado é fundamental.
  • Seja flexível — A idéia é cativar o entrevistador e não impor sua opinião.
  • Capriche no português — Se você acha essa dica um tanto estranha, é bom lembrar que muitos candidatos são eliminados logo de cara por falar ou escrever incorretamente

Fonte : Emprego Já
Foto   : Global Empregos

Veja dicas boas "pra cachorro".

Talvez você já tenha passado por algumas situações.
É claro, que apenas com algumas, não se pode afirmar que um animal tem um problema, cachorros que você pega no colo ou desce do sofá ela lata ganindo é sinal de algum problema de coluna. Tutores de cães já sabem qie este problema é dor na coluna, mas você não sabe.

O principal motivo que pode levar ao cachorro a ter dor na coluna como foi citado aqui é a doença do disco vertebral e a principal delas é a hérnia de disco!

Isso mesmo! Seu cachorro também pode ter hérnia de disco... infelizmente...

Se você tem dores na coluna, sabe muito bem como elas são “dolorosas” e até mesmo irritantes, pois volta e meia nos lembra de que ela está ali presente.

E nos cachorros não é diferente.

Por este motivo, eles também podem ter “crises de coluna” e sair ganindo de dor, é desesperador para quem está vendo...

Para se chegar ao diagnóstico de que o seu cachorro com dor na coluna tenha de fato uma hérnia de disco, é necessário fazer exames bem específicos. Mas antes, é claro que ele precisa ser avaliado e examinado por um médico veterinário para que se suspeite realmente de hérnia de disco.

Dentre os exames, a ressonância magnética é o exame principal para este diagnóstico. Mas infelizmente, são pouquíssimos os lugares que possuem este aparelho no Brasil.

Outro exame mais comum de se conseguir fazer é a radiografia com contraste (mielografia). Ela também apresenta alguns pontos negativos, mas para se conseguir fechar o diagnóstico precisamente, ela é importante.

A tomografia computadorizada também é outro tipo de exame de imagem que consegue identificar com precisão o local da lesão, mas também não é em toda cidade que ela está presente.

Como eu posso prevenir que o meu cachorro tenha dor na coluna?

Algumas raças possuem características próprias que, infelizmente, facilitam que eles apresentem hérnia de disco.

A principal raça da lista é o Dachshund, também conhecido popularmente como “salsicha” ou Basset. Ele possui o corpo comprido e pernas curtas, o que favorece uma má distribuição do seu peso sobre sua coluna. O resultado disso é exatamente uma maior predisposição a ter hérnia de disco.Mas não é apenas o Dachshund que tem maior incidência... outras raças como o Poodle, Lhasa Apso, Pequinês, Shih Tzu, também são acometidos com frequência.

Algumas dicas para que você previna esse problema se você tem alguma dessas raças:


1- Não permita que o seu cachorro pule do sofá ou da cama na hora de descer. Coloque-o no chão.

2- Ao pegar o seu cachorro, NUNCA pegue-o como uma criança, apenas pelas axilas. Pegue-o de forma que você mantenha o peso dele distribuído nos seus braços.

3- Evite piso escorregadio. Caso seu cachorro costume escorregar no chão durante uma brincadeira ou mesmo passeando pela casa, o melhor seria colocar tapetes antiderrapantes ou tapetes comuns mesmo, desde que ele não escorregue mais.

4- Ao passear com ele na rua, opte sempre pelos peitorais com bastante área de apoio para o corpo.


Os tratamentos que são utilizados atualmente para os problemas de hérnia de disco em cães são bastante variados, pois dependem muito de cada caso.


Eles incluem desde acupuntura e fisioterapia, até cirurgia para retirada do disco acometido.

Portanto, para não ter que ver o seu melhor amigo com essas dores na coluna, siga as minhas dicas de prevenção!



Fonte : Dicas pra cachorro
Foto   : Google

Dicas de como diminuir o colesterol

Essa semana vamos falar do Colesterol. A coluna de hoje poderia ser colocada na coluna saúde por ser uma dica importante para a nossa vida saudável. A semana passada falamos da delicia de fazermos um bom Churrasco, agora falaremos do vilão que a gordura carrega ao nosso corpo.

Ele é como uma faca de dois gumes: é essencial na produção hormonal, mas, em excesso, se transforma em risco à saúde. Certamente você já deve ter sido alertado sobre os perigos de não controlar as taxas de colesterol, esse, muitas vezes, incompreendido.

O cardiologista e nutrólogo do Hospital do Coração, Daniel Magnoni, explica que, quando os níveis estão acima do indicado, as frações da gordura ficam mais disponíveis na circulação. Entre estas frações, encontra-se o LDL, considerado como colesterol ruim. Ele se deposita na parede interna das artérias e inicia o processo de acúmulo de gorduras, levando ao entupimento das veias.
Os excessos podem ser gerados por duas razões: fatores genéticos ou hábitos alimentares errados. O que acontece é que cerca de 70% do colesterol produzido vem do fígado.

Ambos os casos podem ser revertidos com alguns acertos no menu diário. O especialista explica que, quando as calorias da dieta são ultrapassadas, o organismo passa a armazená-las para um eventual período de falta. Esse armazenamento é feito em forma de colesterol.

Se você detectou que suas taxas de colesterol estão acima do recomendado, ou ainda, se quer evitar o aumento perigoso à saúde do coração, alguns truques precisam ser colocados em ação.

Troque as versões integrais pelas desnatadas
A recomendação está relacionada aos alimentos de origem animal, devido à grande quantidade de gordura saturada que apresentam. Na lista dos campeões neste tipo de gordura estão queijos amarelos, leite integral, carnes gordas e pele de aves como frango.

De acordo com a responsável pela equipe nutricional do MinhaVida, Roberta Stella, a melhor opção para controlar os níveis da gordura é trocar os queijos amarelos pelos brancos, o leite e seus derivados pelas versões desnatadas, e as carnes gordas pelas magras. Hoje em dia, já é possível encontrar nas prateleiras iogurtes com 0% de gordura , lembra.

O que isso tem a ver com as taxas de colesterol? Tais alimentos estão relacionados com o aumento das taxas de colesterol ruim, o LDL. E assim como a gordura saturada, o colesterol também está presente nos alimentos de origem animal. Seria como matar dois coelhos numa cajadada só. Além dos alimentos listados acima, é importante evitar o consumo de manteiga, gema de ovo e banha de porco , ressalta Roberta. Atente também às preparações que contam com tais ingredientes, como bolos e tortas.

Maneire nas carnes
O alerta é redobrado aos bifes de carne vermelha porque eles são os que apresentam uma quantidade maior de colesterol, especialmente cortes que levam mais gordura. Porém, isso não significa que elas devem ser totalmente excluídas do menu.

Controlando a ingestão dos outros alimentos fontes de colesterol, é possível ingerir carne vermelha até três vezes por semana , tranqüiliza a especialista.

O fato de as carnes vermelhas oferecerem mais colesterol, no entanto, não faz com que os outros tipos de carnes possam ser consumidos à vontade. De acordo com Roberta, as carnes brancas e magras também possuem colesterol e, por isso, devem ser dosadas. Os alimentos que contêm colesterol devem ser monitorados de uma forma geral. Leve em conta que o total da gordura obtido em um dia deve ser menor que 300 mg , completa.

Retirar a gordura visível das carnes é mais um conselho da nutricionista doMinhaVida para ficar de olho no colesterol colocado no prato. Isso faz com que a quantidade de colesterol se reduza. Cem gramas de contra-filé grelhado com gordura contêm 144 mg de colesterol. Sem a gordura, a quantidade diminui para 102 mg , exemplifica. Quando optar por carnes brancas como frango, retire a pele. Cem gramas de peito de frango com pele contêm 80 mg de colesterol. Sem a pele, o valor passa a ser 59 mg , compara a nutri.

Controle a ingestão de biscoitos recheados
Você deve ficar de olho não só nas bolachas doces, mas em todos os produtos que levam gordura trans em sua composição. A indústria alimentícia utiliza a gordura hidrogenada na preparação de alguns produtos. A gordura hidrogenada, por sua vez, apresenta gordura trans , diz a nutricionista. O perigo do ingrediente é o mesmo que o da gordura saturada. Ou seja, ela influencia no aumento das taxas de LDL.

Na hora das compras, verifique a porcentagem de valor diário (%VD) no rótulo dos alimentos. Valores de %VD acima de 20 são considerados altos. Opte por aqueles que apresentam números inferiores de gorduras saturadas, trans e colesterol , dá a dica a especialista.

Lance mão dos óleos vegetais
Na luta para abaixar os níveis de colesterol, em vez de apenas restringir o consumo dos vilões, você pode recorrer à ajuda de alguns mocinhos. O óleo de canola e o azeite de oliva são bons exemplos de alimentos que você deve incluir na dieta. Segundo Roberta, as gorduras monoinsaturadas presentes nos dois tipos de óleos vegetais ajudam a reduzir as taxas de LDL, colesterol maléfico.

Já os óleos vegetais ricos em gorduras poliinsaturadas, como o de soja, girassol e milho, aumentam os níveis de HDL, considerado como bom colesterol. A dica da especialista, portanto, é, além de ficar de olho na quantidade de gorduras saturadas e trans, dar preferência aos alimentos com maior quantidade de gorduras mono e poliinsaturadas. Outras opções de alimentos ricos nas gorduras que somam pontos positivos na luta contra as taxas de colesterol são os peixes.

Corte as frituras da sua rotina alimentar
Roberta explica que, apesar do que se pensa, os alimentos fritos não influenciam diretamente no aumento de colesterol, a não ser que tenham sido produzidos com gordura de origem animal, como banha de porco. Porém, quando superaquecidos, os óleos sofrem mudanças nas estruturas das moléculas. Assim, o efeito que eles possuem de aumentar o HDL fica neutralizado , esclarece a especialista do Minha Vida. Mesmo quando preparadas em óleos vegetais, as frituras não são aconselháveis para quem quer controlar os níveis de colesterol sanguíneo.

Além deste fator apontado por Roberta, ela lembra que o superaquecimento e reaproveitamento dos óleos formam substâncias que modificam o cheiro e a textura deles. A acroleína, por exemplo, é uma substância que irrita a mucosa intestinal , cita ela. Prefira sempre os assados e cozidos, mas não esqueça de dar atenção também ao tipo de alimento ingerido , completa.

Pratique exercícios físicos
Os exercícios também entram em ação na luta contra o colesterol elevado. O especialista do HCor esclarece que, ao suar a camisa, você utiliza suas reservas energéticas, ajudando na diminuição de gordura corporal e, conseqüentemente, na baixa do colesterol sanguíneo.


Fonte : Minha Vida
Foto   : Saúde Garantida