Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2016 -

Dicas e Truques : Dez infrações de moto que fazem você perder a carteira

Infomoto apresenta atitudes que geram suspensão direta do direito de pilotar, além multas que chegam a R$ 6 mil

Muitos acreditam que a "cassação" da CNH (Carteira Nacional de Habilitação) acontece apenas quando se acumula mais de 20 pontos no prontuário no período de um ano.

Não é bem assim: existem algumas infrações de natureza gravíssima que, mesmo quando cometidas de maneira isolada, podem levar à abertura de um processo administrativo e fazer com que o motociclista perca o direito de pilotar por até oito meses.

“Certas atitudes colocam em risco a segurança de todos e geram, por si só, a suspensão da CNH”, alerta Maxwell Vieira, diretor-presidente do Detran-SP. O período da suspensão varia de dois a oito meses, sendo oito a 18 meses em caso de reincidência.

Na maioria dos casos o histórico do motorista é levado em conta para a definição. Entretanto, situações como flagrante de embriaguez ao guidão, recusa ao teste do bafômetro e uso do veículo para, deliberadamente, interromper, restringir ou perturbar a circulação na via geram suspensão pré-estabelecida de 12 meses.

Além de não poder pilotar, o motociclista tem que pagar, claro, o valor da multa pela infração, que varia de R$ 293,47 a R$ 5.869,40, a depender da gravidade e do fator multiplicador da infração. Conheça abaixo dez exemplos:
1) Dar "empinadas"

Muitos gostam de provar sua habilidade “puxando um grau”, como é chamada a famosa empinada. Saiba que tal ação é considerada infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e suspensão automática da CNH. A coisa fica pior se houver outras motos fazendo manobras (como RL e zerinho) e a autoridade entender que houve demonstração de manobra perigosa. Aí a multa sobe para R$ 2.934,70.



Empinar a moto é outra infração considerada gravíssima pelo Código de Trânsito Brasileiro - Imagem: Infomoto


2) Forçar passagem na contramão

Forçar passagem entre veículos que trafegam em sentido oposto é uma manobra comum em cidades cortadas por rodovias. Quando o trânsito está congestionado, muitos motociclistas circulam entre os veículos que trafegam nos dois sentidos. O valor da multa é salgado, R$ 2.934,70, e também gera suspensão da CNH.
3) Omissão em acidentes

Em caso de acidente, deixar de prestar socorro à vítima, alterar o local do acidente (dificultando o trabalho de perícia) ou mesmo deixar de se identificar ou prestar as informações solicitadas pelo agente do trânsito é considerado ato sujeito a multa de R$ 1.467,35 e processo de suspensão.
4) Pilotar sem equipamentos adequados

Pode parecer óbvio, afinal o capacete é o principal item de segurança do motociclista, mas circular sem o capacete, tanto piloto quanto garupa, é passível de multa de R$ 293,47 e vai acabar em “gancho” do seu direito de dirigir. As mesmas punições valem para quem pilotar usando apenas sandálias de tira ou vestimenta não apropriada.
5) Carona perigosa

Embora seja comum nos rincões do Brasil, transportar mais de uma pessoa na garupa é infração gravíssima punida com multa de R$ 293,47 e processo. Lembre-se que levar crianças abaixo de sete anos ou pessoa sem condições de cuidar da própria segurança -- alguém embriagado, por exemplo -- também é proibido.



Motociclista anda de moto usando chinelos e carregando criança menor de sete anos, duas ações proibidas pelo Código de Trânsito BrasileiroImagem: Infomoto


6) Trafegar com luz apagada

Um (mau) hábito comum entre muitos motociclistas é circular com o farol apagado, seja por esquecimento, desconhecimento ou problemas mecânicos. Isso também rende multa de R$ 293,47 e, por colocar em risco a segurança do próprio condutor e de terceiros, vai cassar sua CNH. Motos mais modernas, que possuem acendimento automático dos faróis, minimizam o problema.
7) Andar rápido demais

Muitos lamentam quando são multados por excesso de velocidade a 68 km/h quando o limite era 60 km/h. Pois saiba que transitar em velocidade 50% acima da permitida dá multa de R$ 880,41. Acontecer isso pode ser mais fácil do que parece. Em locais próximos a escolas, por exemplo, onde a velocidade máxima é de 30 km/h, caso o motociclista seja pego por um radar a 46 km/h terá que ficar sem pilotar por alguns meses.



Trafegar mais de 50% acima do limite de velocidade gera suspensão da CNH e multa pesadíssima - Imagem: Infomoto


8) Beber e assumir o guidão

Essa é das mais manjadas: estar embriagado e assumir o guidão da moto, além de ser extremamente perigoso, é um dos motivos que levam à suspensão do direito de pilotar, neste caso por um período de um ano. Sem falar na salgadíssima multa de R$ 2.934,70. Essas também são as punições para quem se recusa a fazer o teste do bafômetro.
9) Furar uma blitz

Muita gente tenta furar o bloqueio ao se deparar com uma blitz de fiscalização. Tal atitude custa a abertura de um processo administrativo e multa de R$ 293,47, além da dor de cabeça para se explicar com a polícia.
10) Fechar uma via

Usar a moto ou qualquer outro veículo de maneira deliberada para fechar uma via, impedindo ou dificultando a circulação de outros veículos – pode custar ao proprietário a salgada multa de R$ 5.869,40 e a suspensão da CNH.



Fonte : UOL
Texto  : Cicero Lima - Infomoto
Fotos  : Infomoto